segunda-feira, 2 de julho de 2012

A soberania necessária

«A história corrobora a necessidade da soberania do Estado. 
A sociedade e a soberania - escreve Joseph de Maistre - nasceram juntas, é impossível separar estas duas ideias. (...) O Magistério da Igreja Católica afirma que a necessidade da soberania foi estabelecida por Deus e define o Estado como uma sociedade "necessária" e "perfeita" desejada pelo próprio criador. (...) O Estado - ensina Pio XII - é de origem natural, tal como a família; isto significa que no seu núcleo é uma instituição desejada e concedida pelo criador. O mesmo se pode dizer dos seus elementos essenciais, tais como o poder e a autoridade que promanam da natureza e de Deus. 

A soberania do estado é pois, necessária para o bem comum espiritual e temporal dos homens, e não pode ser eliminada da sociedade. 
O conceito de estado, ao qual se liga o de soberania, não se deve confundir com outros conceitos afins, como "pátria" e "nação". Na linguagem comum, estes termos podem confundir-se e coincidir, mas em filosofia política e em doutrina social exige-se maior rigor.
O Estado, segundo a definição clássica, é uma sociedade completa e perfeita, composta por uma multidão de famílias e de grupos intermédios, devotado à realização do bem comum. Neste sentido, o Estado é a unidade orgânica e representativa de um povo.
A nação precede o estado, geneticamente, mas em teoria: o Estado é um grupo social mais perfeito que a nação, por causa da sua razão e da finalidade a que se propõe.»


Excertos do livro "A Soberania Necessária" - Roberto de Mattei